Terra Preta de Índio: fertilidade a desvendar

Produzida há mais de 4 mil anos por índios que queimavam os resíduos orgânicos e depositavam a matéria carbonizada no solo

A Terra Preta de Índio (TPI) é um tipo de solo escuro e fértil encontrado na região Amazônica (mas não com exclusividade) e é também  conhecido como “terra preta”. Ela foi descoberta há algumas décadas, mas os pesquisadores do mundo todo ainda estudam os mistérios das manchas de extrema fertilidade.

Estes solos podem fornecer ideias sobre possíveis práticas de manejo sustentável, que possam ser aplicadas em outras áreas do mundo para melhorar a fertilidade do solo em uma agricultura sustentável”  [pesquisador alemão, Christoph Mueller]

terra-preta-2Exitem algumas teorias sobre sua origem, antigamente acredita-se que poderia ter surgido como resultado de cinzas vulcânicas dos Andes ou da sedimentação em lagos durante os períodos geológicos terciários. Entretanto, pesquisas mais recentes apontam que seja resultante da ação humana, e temos duas hipóteses:

  • A primeira é chamada antrópica, na qual estes solos teriam sido formados não intencionalmente pelo homem pré–colombiano, e sim pela consequência do estilo de vida adotado por estas sociedades.
  • A segunda defende que estes solos surgiram nos antigos campos de lavoura dos povos indígenas, e que foram resultados de uma intervenção planejada, ou seja, a chamada hipótese antropogênica.

Para um grupo de pesquisadores da Unesp – Câmpus de Jaboticabal, é possível que a combinação de incêndios, secas e chuvas tenham originado o carvão vegetal, que caracteriza-se por ser o elemento chave para a formação da terra preta, e que foi comprovado dois mecanismos de ação:

  • Maior distribuição e retenção de água.
  • Aumento da disponibilidade de potássio para as plantas.

Os índios pegavam todos os resíduos que eles tinham, de caça, de agricultura e de alimentação, e carbonizavam este material. Esta terra enriquecida em carbono durante muitos séculos formou um solo extremamente profundo e fértil. Hoje sabe-se que esta grande fertilidade é devido o elevado conteúdo de matéria orgânica. Este é um material que sofreu um processo de carbonização, de pirólise, com pouco oxigênio, que gerou este material especial”. [Etelvino Novotny, pesquisador da Embrapa Solos]

Nossa terra preta está se tornando a nova esperança na agricultura mundial. Pesquisadores estão tentando desenvolver esse material em laboratório, através da pirólise de resíduos que não tem destino, carborizando essa biomassa para então aplicar esta matéria orgânica carbonizada no solo. A esperança é que consigam chegar próximos às características da terra preta atingindo o alto índice de fertilidade e retenção de nutrientes.

A Terra Preta de Índio é mais uma riqueza que devemos preservar, pois não se trata somente da História da nossa terra, mas também de um conhecimento que pode melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas, no mundo todo, pois pode fertilizar solos pobres, de forma sustentável, garantindo quantidade e qualidade de alimentos para diversas populações.

Fontes: Saber atualizadoDia de Campo e Pindorama História

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s